Cadastro Único volta a passar por revisão cadastral e 7 milhões de famílias estão em risco (Imagem: FDR)

O governo federal iniciou um processo de averiguação e revisão cadastral a fim de evitar fraudes e garantir que apenas quem cumpra as regras receba o Bolsa Família. O Ministério do Desenvolvimento Social confirmou que pelo menos 7 milhões de famílias foram convocadas para atualizar os dados no Cadastro Único, pois estão desatualizados e correm o risco de perder o acesso ao programa.

Todas as famílias inscritas no Bolsa Família passarão pela revisão cadastral, que acontece pontualmente como um procedimento de praxe. O governo cruzará os dados informados pelas famílias com outros bancos e sistemas para buscar indícios de fraude e eliminar possíveis erros ou inconsistências. Caso fraudes sejam encontradas, a família será chamada para atualização e, assim, poderá continuar a receber o benefício.

Durante o cruzamento de informações, alguns grupos podem ser identificados como potencialmente irregulares e correrão o risco de perder o Bolsa Família. Isso ocorre se a família estiver há mais de dois anos sem atualizar os dados no Cadastro Único, se a renda familiar for maior do que a informada, se houver pessoas morando no mesmo endereço que não foram cadastradas, ou se crianças e jovens não estiverem frequentando a escola ou fazendo o acompanhamento de saúde e vacinação.

Essa revisão cadastral é uma forma de garantir que os programas sociais atinjam apenas quem realmente necessita. O governo federal busca assim evitar fraudes e garantir que o Bolsa Família beneficie as famílias mais vulneráveis.

Lila Cunha, jornalista, atua na profissão desde 2013. Siga-a em @liilacunhaa ou entre em contato pelo e-mail: [email protected]

Fonte: [FDR](https://fdr.com.br/politica-de-privacidade/)