Beneficiários do INSS precisam estar cientes do teto do INSS, que é o valor máximo que um beneficiário pode receber da Previdência Social e também define o máximo que ele pode contribuir. Os valores desse teto são atualizados anualmente e são baseados no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que leva em consideração o valor do salário mínimo. Desde 1995, houve reajustes no valor do teto do INSS e do salário mínimo, com variações que impactam as contribuições necessárias para receber o teto. Com a Reforma da Previdência em 2019, houve mudanças no cálculo do valor a receber, levando em conta todos os salários por tempo de contribuição. Para receber o valor do teto do INSS, é necessário ter um salário próximo ou maior que o valor do teto. Existem também diferentes requisitos e regras para alcançar o teto do INSS, dependendo do tipo de aposentadoria ou benefício. A contribuição para aqueles que recebem mais que o teto do INSS segue um quadro de contribuição de acordo com o salário. É possível simular o valor da aposentadoria no aplicativo ou site do Meu INSS. Ao compreender todas essas informações, os beneficiários poderão entender melhor o funcionamento e cálculo do teto do INSS. Mais detalhes podem ser encontrados no site do link.