Senador Marcos Rogério defende programa de transferência de renda

O senador Marcos Rogério (PL-RO) elogiou a implementação do Auxílio Brasil, substituto do antigo Bolsa Família, afirmando que o novo benefício assistencial também busca estimular a emancipação financeira das famílias. Durante entrevista ao Jornal da Manhã da Jovem Pan News, o parlamentar ressaltou a importância de enxergar os programas sociais como um meio de apoio temporário ao invés de um fim em si mesmo. Ele criticou os governos anteriores por perpetuarem a dependência dos beneficiários e defendeu a necessidade de um “estímulo cultural” para promover a autonomia financeira.

Em pronunciamento, à bancada, senador Marcos Rogério
Fonte: Pedro França/Agência Senado

O senador enfatizou a importância de oferecer caminhos e opções para que as famílias beneficiadas possam sair da situação de vulnerabilidade e ingressar no mercado de trabalho, seja por meio de emprego formal ou empreendedorismo. Ele também destacou o desafio do governo em acabar com a cultura de dependência dos programas sociais e garantir o empoderamento das pessoas que deles precisam. Após a aprovação do Congresso Nacional, o Ministério da Cidadania deve implementar o Auxílio Brasil, incluindo o recadastramento das famílias beneficiadas.

Estratégias para promover o empoderamento econômico

  • Estímulo para empoderamento financeiro das famílias
  • Enfoque no caráter temporário dos programas sociais
  • Promover opções de trabalho e empreendedorismo
  • Necessidade de um “estímulo cultural” para mudar a visão da sociedade
  • Redução da dependência dos programas sociais

O senador Marcos Rogério defendeu a implementação de mecanismos para estimular o empoderamento econômico das famílias beneficiadas por programas sociais, enfatizando que ninguém está destinado a viver em situação de vulnerabilidade de forma permanente. Ele ressaltou a importância de promover uma visão cultural que leve em consideração a natureza temporária desses programas e incentive as pessoas a buscar sua independência financeira. A defesa do senador visa garantir que os programas sociais atuem como um meio de auxílio temporário, apoiando as famílias em momentos de necessidade, e não como uma condição permanente de dependência.