Ministério do Desenvolvimento Social anuncia que mais de 1,5 milhão de beneficiários do Bolsa Família serão excluídos do programa em março por irregularidades. A estimativa é de que até maio cerca de 2,5 milhões de pessoas deixem de receber o auxílio. 2.265 pessoas já solicitaram voluntariamente a exclusão do programa devido a cadastros incorretos. Paralelamente, outros 700 mil que atendem aos requisitos básicos serão incluídos na folha de pagamentos e passarão a receber o benefício. Isso resultará em aproximadamente 21 milhões de beneficiários aptos para o recebimento do auxílio.

LUIS LIMA JR/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Auxílio Brasil deixará 1,5 milhão de famílias sem benefício em março

Beneficiários que atendem aos requisitos básicos serão incluídos na folha de pagamentos

LUIS LIMA JR/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

O Ministério do Desenvolvimento Social anunciou que ao menos 1,55 milhão de beneficiários do Bolsa Família deixarão o programa em março porque o governo Lula já comprovou que eles recebiam o auxílio de forma irregular. Segundo a estimativa do ministro Wellington Dias, que comanda a pasta responsável pelo programa de transferência de renda, até o mês de maio cerca de 2,5 milhões de pessoas serão excluídos, conforme a revisão do Cadastro Único (CadÚnico) for finalizada. Até a manhã desta sexta-feira, 24, segundo a pasta, 2.265 pessoas pediram, voluntariamente, para sair do programa através do aplicativo Cadastro Único através de uma funcionalidade de autoexclusão de cadastros unilaterais realizados de maneira incorreta. No total, o pente-fino feito pelo governo federal já havia identificado cinco milhões de beneficiários com alta probabilidade de irregularidades cadastrais.

Ainda segundo o ministro, outras 700 mil beneficiários – que estavam fora da folha de pagamentos do governo federal – passarão a integrar o programa à partir do próximo mês. “Com a busca ativa e a rede do Sistema Único de Assistência Social, que é muito preparada e muito competente, nós temos condições agora de trazer também para o recebimento quem tem o direito e estava na fila, estava fora”, explica Wellington Dias. “A decisão do presidente Lula é dar a mão a essas pessoas e trazê-las para o programa. Aproximadamente 700 mil já entrarão agora em março”, completou. Entre saídas e novas inclusões, o Ministério do Desenvolvimento Regional estima que cerca de 21 milhões de beneficiários seguirão cadastrados e aptos para receber o auxílio.

Fonte da imagem: Jornal do Povo