Equipe de transição de Lula considera medida provisória para retomar programas sociais

Apesar da avaliação negativa de aliados, membro do grupo petista destaca a importância da aprovação do texto como prioridade do novo governo; medida viabilizaria a manutenção dos R$ 600 pelo Auxílio Brasil

FáTIMA MEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO – 03/11/2022 Geraldo Alckmin
Vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin lidera o grupo que realizará a transição do governo Jair Bolsonaro para a gestão de Luiz Inácio Lula da Silva

Em reunião realizada em 4 de novembro, a equipe de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) avaliou a possibilidade de retomar e reajustar programas sociais através da edição de uma medida provisória. O senador eleito Wellington Dias (PT-PI), escalado para discutir o orçamento de 2023 pela coordenação da equipe de transição, ainda vê a negociação da PEC da Transição como prioridade. No entanto, a possibilidade de garantir o pagamento do Auxilio Brasil em R$ 600 através de uma medida provisória, abrindo um crédito extraordinário, é considerada como um ‘plano B’.

Essa alternativa surgiu após aliados de Lula, como o senador Renan Calheiros (MDB), criticarem a PEC da Transição. Calheiros sugeriu que os representantes do novo governo procurassem o Tribunal de Contas, em vez de recorrer à PEC. Após as críticas, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, ressaltou a importância de utilizar todas as possibilidades para viabilizar o que foi prometido por Lula durante o período eleitoral.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin