Bolsa Família tem liberação de empréstimo consignado negada pelo governo

Na última quarta-feira (13), o governo federal anunciou que não irá permitir a contratação de empréstimos consignados para os beneficiários do Bolsa Família. Essa decisão foi tomada com o intuito de evitar que as pessoas em situação de vulnerabilidade social fiquem endividadas.

O empréstimo consignado é uma modalidade em que as parcelas são descontadas automaticamente do salário ou benefício recebido. No entanto, o governo decidiu não liberar essa opção para os beneficiários do Bolsa Família logo após o Supremo Tribunal Federal (STF) validar a legislação que autoriza a contratação de empréstimos consignados por beneficiários de programas sociais.

De acordo com o ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, o Bolsa Família não é um salário, mas sim um programa de transferência de renda para ajudar as famílias em situação de vulnerabilidade. Ele ressalta que comprometer uma parte do benefício com o pagamento de empréstimo pode prejudicar o objetivo principal do programa, que é garantir a alimentação dessas famílias.

O empréstimo consignado é uma opção bastante utilizada por aposentados, pensionistas, trabalhadores com carteira assinada e servidores públicos. Devido ao baixo risco de inadimplência, os juros cobrados nessa modalidade são reduzidos. No entanto, os beneficiários do Bolsa Família agora não terão acesso a essa alternativa.

Com essa decisão do governo, o objetivo é preservar a finalidade do Bolsa Família, que é fornecer recursos para as famílias em situação de pobreza e vulnerabilidade social. O governo acredita que permitir o acesso ao empréstimo consignado poderia comprometer o orçamento familiar e aumentar o endividamento dessas pessoas.

É importante destacar que a medida foi tomada como forma de proteger a população mais vulnerável e evitar que as famílias dependam ainda mais de empréstimos para se manterem.