Ministério da Cidadania anuncia que parcelas do Bolsa Família podem ser bloqueadas em janeiro de 2024

O Ministério da Cidadania anunciou que um novo grupo de beneficiários do Bolsa Família poderá ter suas parcelas bloqueadas a partir de janeiro de 2024, caso não regularizem suas situações junto ao CadÚnico (Cadastro Único do Governo Federal), de acordo com o calendário divulgado.

A ação, divulgada em setembro, tem como objetivo manter apenas as unidades familiares que possuem direito ao benefício e estão com seus dados atualizados no sistema. Além disso, o “pente-fino” não se restringe apenas aos inscritos no Bolsa Família, mas abrange também aqueles que estão cadastrados em outros programas sociais, como o Auxílio Gás e a Tarifa Social de Energia Elétrica.

Para não perder a elegibilidade, os afetados pela iniciativa devem realizar a revisão cadastral na base de dados. As regras, quem poderá ser bloqueado em janeiro e demais informações anunciadas pelo Ministério da Cidadania serão explicadas em detalhes nesta matéria.

Como fazer a revisão cadastral no CadÚnico?

Os cidadãos devem comparecer à unidade onde originalmente realizaram o cadastro no CadÚnico para atualizarem seus dados, caso tenha ocorrido alguma mudança, como endereço residencial e renda familiar. É possível que sejam cobrados documentos comprobatórios, então recomenda-se comparecer preparado. Mais informações podem ser obtidas em Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) ou outras unidades do CadÚnico. Em caso de dúvidas, os cidadãos também podem ligar para o Ministério da Cidadania por meio do telefone 121, ligações gratuitas.

Bloqueio do Bolsa Família pode ocorrer em janeiro de 2024

O “pente-fino” está previsto para os públicos que não atualizaram seus dados no CadÚnico em tempo hábil, especialmente aqueles que não realizaram a revisão desde 2018 ou anos anteriores. Caso não tenham atualizado as informações até outubro, os beneficiários estariam sujeitos ao bloqueio em outubro e cancelamento em novembro. Outros beneficiários de programas sociais que não fizeram a revisão desde 2019 também foram convocados e devem realizar o procedimento o quanto antes, uma vez que o bloqueio pode ocorrer em janeiro de 2024, com o cancelamento do benefício previsto para fevereiro do mesmo ano.

Compartilhe essa notícia

continua depois da publicidade

continua depois da publicidade

continua depois da publicidade

continua depois da publicidade