Aprovação do arcabouço fiscal é vista como saída de “camisa de força” pelo Ministro da Fazenda

Ministro minimiza alterações propostas e afirma necessidade de apoio

Posse Haddad
Arcabouço fiscal é o principal projeto econômico do governo no primeiro semestre de 2023

No bojo dos ajustes finais do texto do arcabouço fiscal proposto pelo governo federal, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse a jornalistas, nesta terça-feira, 16, que a aprovação da matéria significa que o país saiu de uma “camisa de força”. O texto apresentado na noite desta segunda-feira, 15, foi resultado de um dia intenso de negociações finais entre Lula, ministros, líderes do governo e a cúpula da Câmara dos Deputados, que se reuniu na residência oficial do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL). Haddad avalia que a nova legislação se adequa aos interesses da nação, apesar das alterações feitas pelo relator, Cláudio Cajado (PP-BA).

O ministro defendeu o compromisso do governo em garantir a proteção ao Bolsa Família. Ele ressaltou que está confiante na aprovação da matéria, que deve ser analisada no plenário no dia 24 de maio. “Acredito que [será aprovado] sim, porque a conversa foi extensa. Ouvi muita boa vontade, inclusive dos partidos de oposição, que consideram esse projeto como projeto de Estado e não de governo”, finalizou.